Home
História da Quadrangular
Cultos on-line
Pedidos de oração
Estudos Bíblicos
Galeria Fotos

Radio Ieqpari

Facebook

Fale conosco

Em memória Pr. Jonas da Lapa

Localização



Cultos On-line - Texto

Que comecem as mudanças


Mateus 3:1-10


“1 Naqueles dias surgiu João Batista, pregando no deserto da Judéia.
2 Ele dizia: "Arrependam-se, porque o Reino dos céus está próximo".
3 Este é aquele que foi anunciado pelo profeta Isaías: "Voz do que clama no deserto: ‘Preparem o caminho para o Senhor, façam veredas retas para ele’ ".
4 As roupas de João eram feitas de pêlos de camelo, e ele usava um cinto de couro na cintura. O seu alimento era gafanhotos e mel silvestre.
5 A ele vinha gente de Jerusalém, de toda a Judéia e de toda a região ao redor do Jordão.
6 Confessando os seus pecados, eram batizados por ele no rio Jordão.
7 Quando viu que muitos fariseus e saduceus vinham para onde ele estava batizando, disse-lhes: "Raça de víboras! Quem lhes deu a idéia de fugir da ira que se aproxima?
8 Dêem fruto que mostre o arrependimento!
9 Não pensem que vocês podem dizer a si mesmos: ‘Abraão é nosso pai’. Pois eu lhes digo que destas pedras Deus pode fazer surgir filhos a Abraão.
10 O machado já está posto à raiz das árvores, e toda árvore que não der bom fruto será cortada e lançada ao fogo.”

Existem quatro tipos de crentes: o forte, fraco, imaturo e o carnal.
Quais deles você é?  Em qual modelo de crente você se enquadraria?
As pessoas que se dizem serem fortes, mas são intolerantes, sem paciência com os fracos, são de verdade fortes?
O crente carnal ouve a palavra de Deus e não pratica, sempre faz do seu jeito, sente as coisas e sai fazendo, mesmo que Deus o confronte. Quantas vezes você ouviu Deus dizer: “Não fale ou faça isso”, mas você não obedeceu e fez e depois paga um alto preço? A carne fala mais alto que o espírito.
O crente imaturo é aquele que sai falando e querendo ensinar sem conhecimento real. Ele repassa fake news (mensagem falsa) sem antes verificar se aquilo que está repassando é verdadeiro. É o crente que julga as pessoas sem uma avaliação justa.
É importante fazer esse juízo, porque no meio da igreja existem muitas pessoas que centralizam o agir de Deus nelas e que se acham o centro do avivamento. Ignoram que existem outras pessoas também fazendo a obra de Deus com amor.
Nós precisamos ser honestos na avaliação da nossa fé, porque vamos servir de acordo com a nossa avaliação. Como produzir algo bom fundamentado naquilo que não creio?
Quantas vezes em certas dificuldades deixamos de orar por uma pessoa ou até mesmo por um ente querido por falta de fé?
Nós produzimos aquilo que acreditamos. Essa avaliação é importantíssima, porque nunca iremos nos lançar a fazer coisas que não cremos.
Existe a fé produzida pelo Espírito Santo através dos dons, e a fé natural naquilo que cremos.
Precisamos acreditar naquilo que cremos porque nas horas de dificuldades saberemos qual é a nossa verdadeira força.
Precisamos entender a nossa fé e saber que o Senhor Jesus está intercedendo por nós. É preciso avaliar o poder contido na verdadeira fé.
O Antigo Testamento dizia que um profeta viria um pouco antes do Messias, para prepara o caminho para Ele. Esse profeta foi João Batista. Ele pregou o arrependimento e preparou as pessoas para a mensagem de Jesus.
João Batista, era filho de sacerdote e tinha o direito de usufruir de privilégios, como vestir-se de roupas finas, alimentar-se das melhores comidas, ministrar no templo com toda estrutura reservada aos sacerdotes. Ele poderia viver uma vida de regalias em meio a uma população de miseráveis.
João abre mão de todos esses privilégios e continua firme em seu propósito de anunciar a vinda de Jesus.
João tinha uma função importantíssima designada por Deus, mas o profeta nunca se envaideceu dessa importante missão. João cria naquilo que lhe foi designado.
Como ministrar algo de verdade, se eu só falo para as pessoas fazerem as coisas, mas eu não as pratico?
João como servo de Deus abre mão de todos os privilégios que lhe eram por direito, porque ele entendia que a atitude dos Fariseus de acharem ser melhores que os outros era errada, por isso ele não podia imitá-la. João não pregava nas sinagogas ou no templo, ele pregava no deserto.
A mensagem que João pregava era que as pessoas deveriam abandonar os seus pecados e voltar-se a Deus porque o reino dEle estava próximo.
Esse é o primeiro passo para ter a manifestação de Deus na sua vida.
Quando é perguntado às pessoas qual é o seu defeito?
Muitas pessoas dizem: “Um dos meus defeitos é que sou perfeccionista (é um comportamento humano que faz com que as pessoas desejem fazer tudo de modo absolutamente perfeito ou serem perfeitas também”). Como somos arrogantes e prepotentes, não sabemos nem avaliar quais são os nossos verdadeiros erros e as nossas fraquezas!
Ao falar dos erros e das fraquezas sempre queremos trazer uma qualidade junto. Nunca admitimos que temos defeitos como, a murmuração, intolerância, crítica injusta, mentira, inveja, etc.
A mensagem de João era simples abandone seus erros. Que erros?  São muitos, quais são?
O profeta João foi claro abandone os erros e seus pecados e voltem-se a Deus.
Uma mensagem simples, mas que requer posicionamento firme.
Três coisas que deixamos de fazer. Uma delas Deus não quer os seus servos digam apenas quem Ele é, mas que façam e demonstrem a sua vontade. Que não apenas declare o que está no seu coração, mas sinta o coração de Deus. Muitas vezes falamos às pessoas e aos filhos o que eles devem fazer, mas nós não fazemos.
Ensinamos o que Deus é, mas não somos como Ele. Falamos, mas não demonstramos em seus atos.
A mensagem do Profeta João Batista chama a cada um a avaliar seus erros, arrepender-se, abandoná-los e voltar à Deus.
 Abandonar os pecados é a atitude de alguém  que decide parar de “cuidar da vida dos outros” e começa de fato a “cuidar de sua própria vida”. Que canaliza sua fé para ter novas atitudes, produzindo frutos dignos, coerentes à arrependimento.
Entenda que tem coisas dentro de nós que precisam ser mudadas e consertadas.
É preciso abandonar os erros e se voltar a Deus. Para ter o governo de Deus é preciso abrir mão de coisas que não são boas para sua vida.
João Batista não só ensinava e pregava, mas colocava em prática todo ensinamento. Ele sabia dos seus direitos e privilégios, mas abriu mão de todos eles.
As pessoas vinham de todos os lugares e confessavam os seus erros a Deus. Imagine isso acontecendo em nosso país. Políticos corruptos confessando seus desvios de verbas, as propinas milionárias recebidas e sendo batizadas.
Os Fariseus também vieram, e diziam que tinham se arrependido, e João respondia então pratiquem, mudem sua vida, deixem de buscar os privilégios, sirvam e amem as pessoas pobres. João confrontava os religiosos.
Todo mundo confessando os seus pecados e os Fariseus dando uma de “bons moços”. Ficavam ali observando, mas não estavam dispostos a confessar seus pecados e nem ser batizados. No entanto, que belo contraste vemos no versículo 14, Jesus  chega para ser batizado e João, porém, tentou impedi-lo, dizendo: "Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? ". Sim, Aquele que não tinha pecado, fala para Joao batizá-lo para dar exemplo aos pecadores de que precisam se arrepender e serem batizados, cumprindo assim toda a justiça de Deus.
Somente Jesus Cristo é o centro da nossa salvação. João preparava o caminho e Jesus Cristo era o centro.
Esse texto mostra que a obra de Jesus só se manifestará em nossa vida quando quisermos enxergar os nossos erros, confessá-los e nunca mais praticá-los.
Por que muitas pessoas estão infelizes e sem paz? Porque querem a paz sem fazer nada, sem se arrepender dos seus pecados.
Como ter tudo isso, não assumindo os erros e sem arrepender-se?
Jesus é aquele que batiza com o Espirito, mas também com o fogo (juízo).  Ele é um juiz justo. O reino de Deus precisa se manifestar dentro de nós. Se você quer ensinar o reino de Deus então procure vivê-lo.
Nós precisamos produzir frutos de arrependimento!
Toda essa onda de violência em nosso país é o reflexo de pessoas sem o reino de Deus.
Casais cristãos que não conseguem conversar, e procuram resolver suas diferenças na violência. Cadê o reino de Deus na vida deles?
Por isso João ensina arrependam-se porque isto mudará sua forma de viver!
Seja exemplo da manifestação do Reino de Deus na sua forma de falar e de viver.
Que as pessoas vejam em você o reino de Deus e que desejam isso também para vida delas.
Para que haja a manifestação do reino de Deus em nossa vida é preciso mudar, confessar e arrepender-se dos pecados e assim viver uma nova vida em Cristo Jesus.
Precisamos assumir os nossos erros, para isso precisamos reconhecer que somos pecadores.
Voltar-se para Deus, para que Ele possa nos mostrar os nossos pecados e que sejamos tratados em nosso orgulho, arrogância e colocados em situações que não temos domínio.
Ao se voltar a Deus, o Senhor nos ensina que o centro de todas as coisas é Cristo.
Nunca teremos o reino de Deus se não assumirmos os nossos erros. Seremos iguais aos Fariseus que se achavam o centro de todas as coisas.
A vontade de Deus é que tenhamos paz e alegria em nossa vida.
O que fazer para tê-la? Assumindo os nossos erros, arrependendo-se e colocando os ensinamentos de Cristo em prática.
Entenda o ensinamento de João, somente Jesus é o centro de todas as coisas.
O reino já chegou, confesse os seus pecados e volte-se a Cristo.
Ajude-nos Senhor a enxergar os nossos pecados e abandoná-los para que tenhamos a vida abundante que o Senhor nos prometeu através da manifestação do seu Reino na nossa vida.
Que os propósitos do Senhor se manifestem em nós para que através da nossa vida as pessoas possam se alcançadas em nome de Jesus.

Igreja do Evangelho Quadrangular do Jd. Palmira e Pari.
Pastor Marlon Góes. (05 de Agosto de 2018)